Enviado por rodolpho.chermont em sex, 03/06/2022 - 14:12

Cooperação entre Uepa e Fapespa amplia oferta de bolsas de pesquisa

2

Na tarde de quinta-feira, 2, foi realizada a formalização dos termos de cooperação entre a Universidade do Estado do Pará (Uepa) e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Pará (Fapespa), para ampliar a oferta de bolsas de pós-graduação e de iniciação científica. A assinatura dos documentos ocorreu no auditório da reitoria da Uepa, com a participação de autoridades, professores, técnicos e alunos da instituição.

A concessão das novas bolsas foi possível após a aprovação pela Fapespa do projeto “Fortalecimento da Pós-graduação Stricto Sensu da Universidade do Estado do Pará”, elaborado pela Pró-Reitoria de Pesquisa (Propesp) da instituição. 

Ao total, foram criadas 65 bolsas de mestrado e 4 bolsas de doutorado, para o atendimento de mestrandos e doutorandos dos 14 programas de pós-graduação stricto sensu vinculados à instituição. Além disso, também foram ampliadas as bolsas de Iniciação Científica (IC) “para um total de 150, sendo que 50 delas serão reservadas exclusivamente aos campi do interior. Além disso, aprovamos mais 70 bolsas destinadas exclusivamente aos discentes ligados ao Programa Forma-Pará”, de acordo com Jofre Freitas, titular da Propesp. “Atualmente, a Fapespa é o órgão que mais oferta bolsas Pibic em nossa IES”, destaca o pró-reitor.

Durante o evento, o diretor-presidente da Fapespa, Marcel Botelho, ressaltou que a Uepa é prioridade para a Fapespa e que “isso é refletido nos números de crescimento da universidade”. Ele também destacou que a pesquisa, o desenvolvimento da ciência e a tecnologia devem se dar por todo o estado, com um olhar diferenciado para os campi, para fortalecer o interior.

2

Edilza Fontes, titular da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação, Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), enfatizou que “é importante a iniciativa da Fapespa que vai aumentar, cada vez mais, as bolsas. Esperamos resultados e que as pessoas vejam o que a universidade está fazendo, que a gente se orgulhe de dizer que a gente está financiando aquele tipo de projeto de ciência, que gere uma política pública que a comunidade está precisando”. 

Com a oferta de novas bolsas para os estudantes de graduação e pós-graduação, é esperado que o índice de evasão dos cursos seja reduzido e a qualidade dos resultados das pesquisas seja ampliada, assim como os impactos educacionais, sociais, culturais, tecnológicos e econômicos dos PPGs.

2

O reitor da Uepa, Clay Chagas, destacou como “as bolsas ajudam a manter grande parte dos pesquisadores na universidade, porque vão ajudar os alunos a se manterem em seus programas de pós-graduação”. Ele também apontou que “incentivar a Iniciação Científica é o diferencial para a pós-graduação, porque o aluno já teve um envolvimento com a pesquisa”.

A distribuição das bolsas será feita por meio de edital, em que os orientadores com projetos de maior relevância científica e maior produção registrada em Currículo Lattes serão priorizados, para a execução de propostas por um ano, com a concessão de bolsas para os alunos selecionados.

 

Texto: Marília Jardim (Ascom Uepa)

Fotos: Victória Reimão e Messias Azevedo (Ascom Uepa)