Webmail | Acessibilidade
Redes Sociais
COMCI 2019: Entrevista com a Edilza Fontes (Secretária Adjunta da SECTET)

COMCI 2019: Entrevista com a Edilza Fontes (Secretária Adjunta da SECTET)

“A Comci vem como forma de reconhecer e ao mesmo tempo incentivar a participação das mulheres na ciência”

Data: 29/03/2019

A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) criou a Comenda Mulher Cientista (Comci) como forma de reconhecimento do trabalho científico realizado por mulheres do estado, sejam pesquisas acadêmicas sejam projetos de inovação tecnológica. Sobre a Comci 2019, que foi entregue nesta sexta-feira, às 9h30, a jornalista Jeniffer Galvão entrevistou a secretária adjunta da Sectet, Edilza Fontes.

Pergunta: O que motivou a criação da Comenda Mulher Cientista?

Resposta: A Comenda foi idealizada pelo secretário Carlos Maneschy, titular da Sectet, preocupado em dar visibilidade à produção feminina na área da ciência e tecnologia do estado. O mundo da ciência ainda é visualmente dominado pelos homens. São eles os que mais recebem prêmios ou bolsas de estudo de instituições oficiais. Basta ver a questão do Prêmio Nobel, a mais famosa distinção no ramo do conhecimento em todo o mundo. Apenas 5,7% dos prêmios foram entregues a mulheres. Se considerarmos as ciências exatas e naturais, a situação é mais crítica, pois esse percentual fica na casa do 1%. Então a Comci veio como forma de reconhecer e ao mesmo tempo incentivar a participação das mulheres na ciência. Reconhecer as que já estão há anos fazendo pesquisas e as estudantes que se dedicam a projetos de inovação que mudam a realidade do estado, promovendo desenvolvimento. Assim, temos duas categorias, Cientista Master e Jovem Talento.

P - Como foi o processo de seleção e escolha das cientistas que receberam a honraria?

R - A nossa ideia foi envolver a sociedade nessa escolha. Por isso, lançamos nas redes sociais da Secretaria uma campanha para que os internautas indicassem mulheres que se destacavam na ciência e em inovação tecnológica, informando qual era a pesquisa científica ou o projeto por elas desenvolvido. A campanha foi realizada no período de 8 a 19 de março e tivemos 21 indicações. Ressalto que houve nomes com indicações de várias pessoas.  Ao mesmo tempo, enviamos às instituições de ensino e pesquisa do estado convite para que indicassem uma representante para formar uma comissão especial para analisar as sugestões enviadas pelos internautas. A Comissão Científica de Avaliação da Comci 2019 foi composta pelas professoras doutoras Alessandra Ferraiolo, da Embrapa Amazônia Oriental, Edna Castro, da Universidade Federal do Pará e Yvelyne Santos, da Universidade do Estado  (Uepa). Elas analisaram minuciosamente os currículos, as pesquisas e projetos das indicadas e decidiram quais serão homenageadas. Aproveito para agradecer a disponibilidade das professoras, que muito contribuíram para a concretização da Comci.

P - E quem são essas mulheres que receberam a Comenda?

R - Na categoria Jovem Talento a escolhida foi Francielly Barbosa, estudante da cidade do Moju, que criou um tijolo ecológico a partir do caroço de açaí, normalmente jogado no lixo. Essa menina de 17 anos têm recebido prêmios pelo país e até fora do Brasil. Agora vai receber a nossa homenagem e agradecimento por levar o nome do Pará tão longe e por contribuir para a melhoria de vida da população do Moju, o que é ainda mais importante.

Na categoria Cientista Master, a Comissão elegeu duas grandes pesquisadoras paraenses: Paula Schneider e Ima Vieira. Paula Schneider é doutora em genética e biologia molecular e desenvolve estudos dentro da Rede do Projeto Genoma Brasileiro, que tem uma importância inestimável para o desenvolvimento da pesquisa genética no mundo. A Ima Vieira é renomada pesquisadora do Museu Emílio Goeldi, com doutorado em ecologia, desenvolvendo pesquisas relevantes sobre a biodiversidade da Amazônia.

P - Por que duas cientistas na categoria Master? A Comci foi pensada assim?

R - Na realidade, não. A Comci foi criada para destacar uma mulher em cada categoria. Mas, diante da importância das duas pesquisadoras, a Comissão decidiu conceder a Comenda para essas duas grandes cientistas do Pará. Nós, da Sectet, não interferimos na decisão da Comissão, que tem autonomia na escolha das homenageadas. Eu entendo bem os motivos que levaram a Comissão a tomar essa decisão. São realmente mulheres de importância incomensurável para a ciência não só do Pará, como da nossa região e do mundo todo.

P - Como foi a solenidade desta sexta-feira?

R - Fizemos uma solenidade no Teatro Estação Gasômetro, onde autoridades do governo do estado entregarão a Comci às cientistas, como parte da programação de encerramento das ações realizadas durante todo o mês de março em homenagem às mulheres. A Sectet também entregou às mulheres que estão à frente de secretarias e órgãos da administração um certificado de Menção Honrosa como reconhecimento pelo desempenho de suas atividades em prol do desenvolvimento do Pará. Depois tivemos um coquetel de encerramento com música ao vivo que contou com a participação de Andréa Pinheiro e Paulinho Moura.

Enviar por email

Deixe seu Comentario

Veja também

SIG AMAZÔNIA

Links úteis +

Editais, Ferramentas e Avisos +